sexta-feira, 24 de Novembro de 2017  

 Clima

Compreendidas entre o 20° e 28° grau de latitude norte, as províncias sarianas estendem-se ao longo de 950 Km, enquanto que a sua amplitude varia entre 300 e 500 Km.

Cobrem uma superfície de 252.120 km2 e formam um conjunto de planícies e planaltos que oferecem uma grande uniformidade de relevo, opondo-se assim ao Sara oriental composto de maciços montanhosos. A estrutura deste relevo, muito gasto por ter estado emergido, é relativamente simples. Pode-se distinguir três grandes conjuntos de orientação geral Norte-sul.

- A região  de Reguibat, na parte oriental, estende-se do interior  - países de Laguira até ao Sudeste da província de Smara. É uma planície composta de terrenos précambrianos sobre os quais se acumularam restos rochosos. É dominada ligeiramente a Norte por planaltos primários e cretáceos camuflados por depósitos terciários, e a Oeste por pelas planícies do Gada. Em alguns lugares, as águas de escoamento muito acidentado formaram bacias fechadas ou sebkhat (Sebkhat de ldjil, por exemplo).

- O Gada, dominando a planície costeira, estende-se a Norte até ao vale do Draâ, a Sul até ao 23°paralelo. Composto de planaltos calcários, o relevo e as chuvas provocam um escoamento muito fraco e ocasional dos rios (oueds), enquanto que no interior, de um vale transversal, o Saguiat El Hamra, isto acontece quase  todos os anos. Em direcção  do Sul, o escoamento faz-se cada vez mais raro.

 A planície costeira é formada por depósitos terciários e quaternários; algumas dunas isoladas e ligeiras depressões fechadas (Sebkhat Tah) vêm quebrar a monotonia da paisagem.

A costa, rectilínea, no conjunto, apresenta uma sucessão de pequenas falésias de grés e, sobretudo,  lagoas isoladas por cordas litorais cobertas de dunas alinhadas no sentido do vento. O litoral está exposto à ondulação, excepto em Dakhla e Laâyoune, mas as marés são  de fraca amplitude.

Se a orientação geral dos grandes conjuntos géomorfológicos é longitudinal, o mesmo acontece com as zonas bioclimáticas que constituem bandas mais ou menos paralelas ao oceano e vão do Sara marítimo, de atmosfera constantemente húmida, ao Sara árido.

O clima das províncias sarianas é, sobretudo, caracterizado por um volume muito fraco de precipitações. A ausência de relevos sensíveis, a direcção paralela ao litoral dos ventos “alizés”, a estabilidade da circulação atmosférica, opõem-se a um recrudescimento regional das chuvas.

A parte meridional recebe um volume de chuvas mais fraco: o volume total das precipitações é  aproximadamente de 11 mm de chuva/ano, enquanto que em Laâyoune atinge 40 mm. No entanto, nestes últimos anos verificaram-se  precipitações mais frequentes, que deram vida à terra e esperança aos agricultores e aos criadores de gado, os quais aproveitaram este feliz acontecimento para alargar  as suas actividades.

A influência do oceano traduz-se muito mais na humidade relativa da atmosfera. As brumas e os nevoeiros são frequentes: Tarfaya, 24 dias de orvalho por ano, 33 em Dakhla, mas apenas 2 em Smara.

A humidade do ar influencia directamente as temperaturas. À medida que nos afastamos das costas, a amplitude térmica anual aumenta, sendo de 16° no litoral e de 24° em Smara. À beira-mar, as temperaturas estão compreendidas entre 12° (média de Janeiro) e 28° (média de Julho); para o interior, entre 6 - 8° e 32°. Deste modo, na latitude de um Sara central extremamente  árido, o Sara marroquino é limitado por um deserto atenuado.

    
 

1. Que pensa do projecto de autonomia do Sara Ociedental proposto pelo Reino de Marrocos?


Votar  Afixar os resultados
 
 
 
 
Pagina principal   |  História do Sara  |  Geografia  |  Património Hassani  |  Assuntos sociais  |  Economia  |  Infraestruturas Instituições  |  Contactos
 
  Copyright © CORCAS 2017 - Todos os direitos reservados