segunda-feira, 20 de Novembro de 2017  

 Juventude e desporto

A acção do Estado não se limitou somente ao ensino; ela dedicou-se, em paralelo, ao percurso escolar clássico. Deste modo, procedeu-se à criação de uma estrutura complementar de educação e de formação que se ocupa das crianças sem recursos e dos jovens não escolarizados ou ainda daqueles cuja escolaridade foi interrompida. Esta acção foi efectuada em prol da infância desfavorecida: órfãos, deficientes, muito embora também tenha trazido muitos benefícios aos jovens confrontados com os problemas de adaptação ao novo modo de vida urbano.

Por outro lado, a intervenção dos poderes públicos também se traduziu na criação e no enquadramento de centros de educação e de trabalho, de lares de infância, sem esquecer os centros de educação social e as cooperativas de vocação social. Em todas estas instituições, são disponibilizadas actividades culturais e educativas, assim como cursos de alfabetização que são hoje uma componente fundamental do sistema educativo instaurado nos diversos centros sociais; estes centros abrangem um vasto número de jovens e de adultos; a instrução de base é a  condição de uma participação activa na construção de uma sociedade nova.

Devem ser mencionados também os cursos de educação social e cívica disponibilizados  às mulheres e às raparigas que, além disso, são iniciadas à prática de certos trabalhos manuais (costura, bordados, tapeçaria). Deste modo, é-lhes dada a possibilidade de exercer mais tarde um ofício de artesanato susceptível de fornecer um complemento ao rendimento familiar.

Além disto, devemos mencionar também as casas de infância  criadas com o objectivo de acolher e proteger os órfãos e de facilitar a sua inserção na sociedade. Nesta mesma óptica, foram criados centros especializados que foram postos à disposição dos deficientes, dos cegos, facultando-lhes uma assistência médica em permanência assim como um ensino e uma formação adaptados.

O que deve ser realçado  a este respeito é, por conseguinte, a determinação dos poderes públicos de dar ajuda aos grupos sociais desfavorecidos no âmbito de uma diligência global permanente. Não é surpreendente que, nestas condições, esta política tenha dado os seus frutos e que tenha sido um factor decisivo da sua inserção no meio circundante, o que só poderá melhorar as suas condições de vida social.

Promoção do desporto

No entanto, esta acção em prol dos jovens estaria incompleta se fosse esquecido o desenvolvimento das suas aptidões desportivas. Ora, neste domínio, nenhum esforço foi poupado. Terrenos de futebol, de handball e de basquetebol foram construídos em todos os centros urbanos. Em Laâyoune, a sala polivalente e a piscina foram renovadas.

Foram abertas salas reservadas aos clubes desportivos (karaté, ginástica). A presença destes equipamentos incitou os jovens a agruparem-se em associações. Algumas constituíram-se no interior dos bairros, o que representa para a única disciplina do futebol, e em Laâyoune,  trinta e duas equipas. A um nível mais elevado, foram formados clubes, contando-se actualmente com uma vintena de clubes de futebol que agrupam quase 500 licenciados para o conjunto das províncias sarianas.

Um destes clubes - o Chabab Al-Massira - (Laâyoune) faz a glória destas províncias desde a sua ascensão ao campeonato nacional de primeira divisão. Esta promoção deu-lhe ainda mais a possibilidade de acolher equipas internacionais.

O papel que as províncias sarianas se devem de desempenhar na organização dos encontros nacionais e por vezes internacionais, é reforçado pela instauração de infra-estruturas de grande envergadura.

O complexo desportivo de Laâyoune, Cheikh Mohamed Laghdaf, inaugurado por Sua Alteza Real o Príncipe Moulay Rachid em Março de 1985, pode receber  35.000 espectadores. Cobrindo uma superfície de 3 hectares, está dotado de instalações diversas: pistas de atletismo, uma sala para os jogos colectivos, outra para os jogos individuais (boxe, judo...).

A região renova a sua vocação de zona de passagem privilegiada para desportistas aventureiros que utilizam os circuitos terrestres, marítimos e aéreos. Três competições são organizadas regularmente:

As riquezas haliêuticas das costas sarianas e a beleza das praias atraem certas actividades desportivas ligadas ao mar: mergulho submarino, esqui náutico, prancha à vela, natação e, por último, os concursos internacionais de pesca que se realizam em Dakhla.

A integração das províncias sarianas no território nacional, embora se realize mais  sobre o plano físico e económico, também se reveste de um caracter humano. Esta integração, concretizada pelos intercâmbios entre os jovens desta região e os das outras províncias, vem consolidar a unidade cultural da nação marroquina.

 

    
 

1. Que pensa do projecto de autonomia do Sara Ociedental proposto pelo Reino de Marrocos?


Votar  Afixar os resultados
 
 
 
 
Pagina principal   |  História do Sara  |  Geografia  |  Património Hassani  |  Assuntos sociais  |  Economia  |  Infraestruturas Instituições  |  Contactos
 
  Copyright © CORCAS 2017 - Todos os direitos reservados