domingo, 19 de Novembro de 2017  

 Água

A natureza é pouco clemente nas províncias sarianas. A água, fonte de vida, é um bem raro nesta região. As condições climatéricas são desfavoráveis devido ao fraco  volume de precipitações: geralmente inferiores a 50 mm por ano, e a uma média anual das temperaturas superior a 20°.

Se antes de 1975, não podíamos fazer alusão à alimentação em água potável, hoje a situação mudou. Os resultados de uma política voluntariosa de valorização dos recursos de água da região do sul de Marrocos vieram modificar o modo de vida das populações sarianas.

A preocupação dos poderes públicos foi de pôr termo à situação de escassez de água que tanto marcou a região, através de um aumento da produção e através de  uma distribuição equilibrada do consumo nas aglomerações urbanas e nos centros rurais.

A fim de enfrentar as dificuldades inerentes à valorização dos recursos de água, foi lançado um vasto programa de prospecção das águas subterrâneas. Este programa permitiu detectar lençóis de água, nomeadamente nas camadas do cretáceo, cuja profundidade aumenta de Sul para Norte e de Este para o Oeste. Varia entre 50 metros em Bir Anza-ran e 1100 metros em Laâyoune. Deste modo,  mais de 300 milhões de dirhams foram investidos pelo Estado no sector da água, dos quais mais  de 100 milhões exclusivamente para a sua exploração.

Resultado: uma vintena de lençóis foi descoberta produzindo um débito global superior a 450 L/s, o qual deverá aumentar tendo em conta a capacidade potencial das obras existentes e os resultados animadores da prospecção actualmente efectuada.

As águas subterrâneas das regiões sarianas são geralmente salobras.

Existem, no entanto, lençóis de água doce nas quatro províncias, mas se as de Dakhla e dos seus arredores oferecem perspectivas interessantes a médio e longo prazo, as de Laâyoune (Foum-EI-Oued), de Smara (Oum Ch gag) têm, em contrapartida, reservas muito limitadas.

Em função das disponibilidades dos recursos relativamente limitados e o custo elevado dos métodos de tratamento, procurou-se optimizar a utilização dos volumes produzidos, adoptando um duplo sistema de alimentação, o do serviço duplo que é constituído por uma rede geral de alimentação de água salobra que cobre as  necessidades domésticas de todos os lares e uma rede paralela de distribuição de água doce, que se encontra disponível nas fontes que estão repartidos através dos bairros habitacionais.

Se a água se revestiu durante muito tempo de um carácter muito aleatório devido à sua escassez nas regiões sarianas, o desafio contra a natureza é hoje levantado: A água chega a cada lar e irriga os espaços agrícolas, dando vida à terra, oferecendo segurança e estabilidade aos homens. A água, que se tornou acessível, aumentou consideravelmente o nível de conforto das populações, tanto a nível dos centros urbanos como rurais, melhorando nitidamente as suas condições de higiene e de saúde.

Estes resultados espectaculares desdramatizaram o problema da água e, ao mesmo tempo, desempenharam um papel determinante no processo de desenvolvimento económico e social das províncias sarianas. A resolução dos poderes públicos de prosseguir a estratégia de valorização do potencial hidráulico, pela intensificação dos equipamentos e pela investigação, é uma condição prévia para reduzir as disparidades regionais, deixando assim prever um futuro próspero nestas províncias.

    
 

1. Que pensa do projecto de autonomia do Sara Ociedental proposto pelo Reino de Marrocos?


Votar  Afixar os resultados
 
 
 
 
Pagina principal   |  História do Sara  |  Geografia  |  Património Hassani  |  Assuntos sociais  |  Economia  |  Infraestruturas Instituições  |  Contactos
 
  Copyright © CORCAS 2017 - Todos os direitos reservados