domingo, 21 de Dezembro de 2014  

 Fauna e flora

A Flora

Devido à escassez da água, o Sara é quase desprovido de flora. Da vegetação mediterrânica que cobria as montanhas do Sara, antes que se tornasse um deserto, apenas resta o louro-rosa e o cipreste de tassili, perto dos gueltas.

As plantas adaptaram-se ao meio para reduzir a evaporação e aumentar a absorção de água: folhas muito pequenas, raízes muito longas capazes de atingir as camadas mais húmidas do solo (acácias, tamaris), acumular água nos tecidos e folhas cobertas de cera (suculentas),  perder as suas raízes e deixar-se transportar para absorver a humidade da atmosfera (rosas Jerico), sugar a linfa das raízes das outras plantas (cystanche), perder as suas folhas no  caso de aridade e crescê-las na estação húmida (zilla), tornar as suas folhas incomestíveis (macieira de  Sodome)...

Podemos encontrar alguns arbustos isolados (tamaris, acácias) no leito dos oueds. Raros aguaceiros  podem provocar o crescimento de um magro prado temporário, o acheb, bastante procurado pelos nómadas.

A palmeira tamareira, introduzida pelos árabes, é indispensável à existência do homem nos oásis: as tâmaras são um alimento muito energético, os troncos servem para o fabrico de vigas, as folhas servem para o fabrico de cestos, cordas, esteiras e cobertura para as cabanas... protege do sol as árvores frutíferas que, por sua vez,  protegem as culturas da horta. 
 

A Fauna

Os animais instauraram igualmente estratégias para economizar a água e  evitar o calor excessivo: camada espessa de chitina e vida sob terra para os escorpiões e insectos, recuperação do vapor de água contido no ar pulmonar fazendo-o condensar nos narinas, produção de fezes muito secas e de urina muito concentrada ou mesmo sólida em certos pássaros, perda das glandes sudoriporas, cor clara do pigmento para reflectir o sol, procura de água e de alimento à noite, acumulação de água em bolsas internas, orelhas de dimensão desmedida  que servem de radiador para controlar a perda calorífica (fenecos, gato das areias), pelagem de pelo curto permitindo uma melhor termólise, aumento da temperatura interna, para evitar a transpiração...

Os animais emblemáticos do deserto são o addax (tipo de antílope do Sara), a gazela donca e o feneco.

O principal animal do Sara  é o dromedário. Sem ele, o homem não poderia viver no Sara. Com efeito, ele tem uma resistência excepcional ao calor e à sede: mesmo quando a temperatura excede os 50°, pode ficar sem beber vários dias consecutivos. O dromedário destinado ao transporte, mais maciço que o dromedário de sela, pode transportar até  250 Kg de mercadorias de uma extremidade a outra do Sara.

    
 

1. Que pensa do projecto de autonomia do Sara Ociedental proposto pelo Reino de Marrocos?


Votar  Afixar os resultados
 
 
 
 
Pagina principal   |  História do Sara  |  Geografia  |  Património Hassani  |  Assuntos sociais  |  Economia  |  Infraestruturas Instituições  |  Contactos
 
  Copyright © CORCAS 2013 - Todos os direitos reservados